Histórias que ajudam a curar – Narrativa para área de saúde

A medicina está cada dia mais avançada, disso todo nós sabemos. São muitos tratamentos, terapias, remédios.

Cada vez mais a tecnologia interage nesses tratamentos, máquinas imensas para exames complexos! Tudo isso é positivo, claro! O aumento das chances de cura de doenças que eram sentença de morte, ou em outros casos, que não se chegou a cura, há o controle da doença mediante tratamento e o paciente pode assim levar sua vida.

Nesse contexto todo que o storytelling ou a chamada narrativa, é tão útil para a área de saúde.

Há muitas  aplicações da narrativa  para  essa área, cada profissional ou estabelecimento pode achar a forma mais efetiva, o importante é que ela é poderosa.

A seguir alguns exemplos práticos que podem ser aplicados:

PARA DIAGNOSTICAR E TRATAR

A série Unidade Básica, com o roteiro de Newton Cannito e Marcos Takeda , que engata sua segunda temporada pelo canal a cabo, Universal Channel , retrata dois médicos vividos por Ana Petta e Caco Ciocler e diferentes formas de atuar : o Dr Paulo, (Caco Ciocler ) envolve-se com as histórias de vida, buscando desvendar diagnósticos difíceis de serem descobertos.

A série também aborda o papel do médico de família, que pela convivência mais estreita e  por conhecer o histórico familiar e muitos hábitos de seus pacientes (suas histórias), muitas vezes consegue agilizar o diagnóstico desse paciente. Os autores e atores têm participado de vários debates sobre o tema com os profissionais de saúde.

PARA EXPLICAR OS PROCEDIMENTOS E GARANTIR ADERÊNCIA AO TRATAMENTO

No momento de um procedimento ou exame ou algo do tipo, as dúvidas e receios dos pacientes são muitos.

Contar uma história (ficção ou não), pode informar de modo que prenda a atenção, ajude o paciente a simular a realidade antes de vivenciá-la, o que ajuda a diminuir a ansiedade e traz informações importantes a quem irá passar pelo procedimento.              .

PARA MELHORAR A RELAÇÃO  COM O PACIENTE

Alguns pacientes tomam o médico por um profissional “distante” que os trata com frieza.

O diálogo aberto entre profissional de saúde e paciente, cria um vínculo entre eles. Esse vínculo fortifica a relação, traz  satisfação com o atendimento e confiança no resultado positivo.

Tudo isso contribui para a melhora de sua saúde , qualidade de seu tratamento e aumenta a credibilidade no profissional e no estabelecimento de saúde.

PARA INFLUENCIAR A MUDANÇA DE HÁBITOS

Os profissionais da saúde , contando histórias, conseguem exemplificar o que é prejudicial e o que é benéfico para a saúde do paciente. Histórias inspiradoras são combustível para a mudança!

E por último, mas não menos importante:

DESMITIFICAR A ÁREA DA SAÚDE  E FIDELIZAR O CLIENTE  

Desmitificar a área da saúde é extremamente importante!

Quantas vezes ouvimos: Ah não adianta ir  ( ao médico, ao psiquiatra, ao fisioterapeuta) … eles não fazem nada.

É um misto de medo, com descrença, com desânimo.

Histórias podem contar que é essencial que o paciente não protele uma consulta ao médico, não falte a um exame importante. Quanto antes o diagnóstico for fechado, mais rápido o tratamento se inicia e consequentemente mais chances de sucesso.

Ótimo para profissionais de saúde, que tem sua credibilidade e respeito reconquistados.

Ótimo para pacientes, que passam a ser cada vez mais saudáveis porque também passam a fazer uso da medicina preventiva.

Ótimo para estabelecimentos de saúde que tem a possibilidade de fidelizar seus clientes , já que clientes satisfeitos retornam sempre.

Ótimo para familiares, que tem seus entes queridos mais bem cuidados!

Então conte histórias, boas histórias, de ficção ou não , mas que prendam a atenção do interlocutor, que tenham conteúdo relevante para o assunto abordado e que tragam luz a cena!

O importante é que o ganho é para todos envolvidos.

 

Newton Cannito é palestrante e fala sobre o tema!

Saiba como o Instituto Fabular pode lhe ajudar a implementar em seu consultório, clínica ou hospital.

 

Por Lourdes Cannito

 

 

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *