Manifesto Fabular

O Instituto Fabular tem um sonho: um mundo aonde todos sonhem.

O Fabular tem uma fantasia: um mundo aonde todos fantasiem.

Aonde todos criem histórias. Aonde todos fabulem. A liberdade começa na imaginação. O mundo começa a mudar quando aprendemos a criar mundos imaginados.

“No princípio era o verbo”, já disse o Gênesis. Todos os homens são deuses criadores. Nem todos exercem esse poder. Precisam exercer!

Nos inspiramos numa frase ótima do Gianni Rodari, em “Gramática da Fantasia”:  “Todos os usos da palavra a todos, é um bom lema, sonoramente democrático. Não exatamente para que todos sejam artistas, mas porque ninguém é escravo”.

Fabular mundos é se libertar da escravidão.

Outra inspiração é Novalis, que disse: “Se tivéssemos uma Fantasia, assim como temos uma Lógica, estaria descoberta a Arte de Inventar “.

Nosso plano é ensinar todo mundo a contar e a criar histórias. Começando com sua própria história. A história de sua família, de seu pais, de seu povo, de sua galáxia. A história do Cosmos.
E também – por que não? – ensinar à todos a inventar histórias completamente imaginárias que criem o futuro.

No mundo de hoje poucos tem o poder de criar suas próprias fábulas. Apenas os escritores e roteiristas. Queremos socializar esse poder e recuperar a milenar tradição de contadores – e criadores – de histórias. Queremos reensinar as pessoas a inventar seus próprios “causos”, suas próprias fábulas.

Acreditamos no poder da Fábula. Sabemos que o poder de contar sua própria história e de reorganizar a história do mundo é um poder libertador.
Queremos socializar essa libertação!

Para isso criamos projetos educacionais com fins sócio-culturais e atendemos também a pessoas, instituições e empresas que precisam contar sua própria história para entender quem são e voltar a sonhar com o querem realmente ser.