Para ser um bom escritor

O primeiro  passo para ser um bom escritor (seja ficção ou ensaio) é ter capacidade de análise social. Entender como funcionam os jogos sociais.

O segundo passo é não julgar isso. Se julgar você vira pregador ou moralista. Não escritor, não artista.
O terceiro passo é não se deixar fascinar por sua inteligência. Se você é muito fascinado com sua inteligência é porque é recém inteligente. Aí vai virar artista hermético que faz a obra só para provar que é melhor que seus leitores. Dard! Você se acha melhor que um médico que opera cérebro? Se acha melhor que uma mãe que cuida de uma criança? Do que uma pessoa que cuida da vovó idosa? Só porque faz analises sociais se acha melhor que eles? Ah vá… Menos meu amigo. Você só tem um cérebro que veio com esse aplicativo de “inteligência” de analise social. Só isso. Não és melhor que ninguém. Seja mais generoso e tente se comunicar.

 

O perigo existencial de quem tem essa capacidade de analisar o mundo é começar a ter rancor pela pequeneza das pessoas. Você se julga melhor que os outros e irá ficar raivoso

Sofre-se muito. Já aconteceu comigo, sei do que estou falando. kkk Temos que ter compaixão pela pequeneza humana. Inclusive pela nossa pequeneza de se achar melhor que outros. Temos que entender que todos nós (até mesmo Eduardo Cunha) somos só um monte de bichinhos assustados.

Por Newton Cannito

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *